O melhor de duas culturas


Elaborado a partir de uma mistura de três variedades clássicas de Bordeaux – onde predomina o Cabernet Sauvignon – Almaviva é o resultado do afortunado encontro entre duas culturas.

O Chile oferece sua terra, seu clima, e seus vinhedos, enquanto a França contribui com os conhecimentos técnicos de vinificação e suas tradições.

O resultado é um vinho de elegância excepcional e complexidade. Seu lançamento foi um enorme impulso para o desenvolvimento dos vinhos chilenos nos mercados internacionais.

Colheitas

199619971998199920002001200220032004200520062007200820092010201120122013




Relatório da Colheita

Perfeitas condições durante o ciclo de crescimento desde a brotação até a safra foram acompanhadas por fortes chuvas durante a primeira semana de Abril. Uma colheita oportuna permitiu obter uvas maduras e saudáveis.

Composição

Cabernet Sauvignon
75%
Carménère
19%
Cabernet Franc
6%

Envelhecimento em barris: 16 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho ameixa, com um leve toque de terracota nos contornos.
Perfumado com aromas florais e notas de tabaco defumado e marga. Pétalas de rosa secas e ameixas maduras evoluem até a resina e couro. O conjunto se envolve em aromas de conservas de figo e folhas de louro.
O ataque é sedoso e equilibrado, fresco, com taninos dóceis. Flores secas, casca de pinho e vegetação do bosque. Um vinho muito harmonioso e etéreo, de longa perduração e final límpido.
Uma colheita maravilhosa.

Harvest Report

Condições climáticas constantes ao longo de toda temporada nos permitiu obter um amadurecimento homogêneo em todos os lotes do vinhedo. O clima particularmente seco e quente produziu uvas com uma maturação perfeita, colhidas em pequenas gamelas durantes as últimas três semanas de Abril

Composição

Cabernet Sauvignon
72%
Carménère
23%
Cabernet Franc
5%

Envelhecimento em barris: 16 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Suaves aromas de âmbar, um bouquet de ervas secas e de pimenta branca. Uma bonita presença de frutas secas e de cerejas bem maduras. O final apresenta delicadas notas de fruta e café tostado.
Na boca o ataque se qualifica por seus vigorosos aromas de ameixa e menta apimentada sobre um fundo defumado.
Os taninos são frescos e poderosos. A evolução ascendente continua sobre um longo final.

Harvest Report

Climaticamente marcado pelo Fenômeno El Niño, que provocou precipitações abundantes, temperaturas menores e baixa radiação solar. Estas condições causaram um atraso na colheita até o fim de Abril para garantir o amadurecimento dos taninos. Uma gestão cuidadosa e um exaustivo processo de seleção durante todo o período da colheita permitiu contar com uva muito saudáveis.

Composição

Cabernet Sauvignon
72%
Carménère
26%
Cabernet Franc
2%

Envelhecimento em barris: 16 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

O nariz apresenta aromas intensos de incenso, geleia de ameixa e pimenta, acompanhadas de zimbro e madeira de abeto, sobre um fundo mineral.
Um ataque redondo e bem equilibrado; uma evolução marcada por taninos suaves. Notas de frutas cristalizadas e folhas de tabaco negro. O final desprende aromas de especiarias e alcaçuz.

Harvest Report

As condições climáticas foram totalmente opostas ao ano anterior. Uma seca severa e altas temperaturas caracterizaram este ano, causando uma antecipação na dada da colheita em quase duas semanas num ano normal. Uvas maduras, sadias e altamente concentradas ajudaram a produzir um vinho notável.

Composição

Cabernet Sauvignon
78%
Carménère
19%
Cabernet Franc
3%

Envelhecimento em barris: 16 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Nariz poderoso e concentrado, transbordante de frutas vermelhas, cassis e mora, envolvidas por notas minerais. Torradas, grãos de café torrado e cacau acompanham os aromas de frutas silvestres.
O ataque franco, amplo e vivo evolui rumo a uma estrutura composta por taninos redondos, condensados e refinados. A excelente concentração de frutas vermelhas e cacau persiste num final na boca longo. Um equilíbrio excepcional, uma grande fineza e uma bela persistência.
Um vinho concentrado com grande potencial de guarda.

Harvest Report

Em geral, boas condições climáticas se combinaram com um inverno frio e chuvoso, primavera a início de verão. No vinhedo, a temporada foi marcada pelo crescimento uniforme, apesar das temperaturas que foram um pouco mais baixas que a média histórica. Dado isto, e somado a certas chuvas registradas em meados de Abril, o período de colheita se estendeu com o objetivo de alcançar a maturidade ideal das uvas.

Composição

Cabernet Sauvignon
86%
Carménère
14%

Envelhecimento em barris: 16 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

No nariz, complexo, se apresenta aromas de chocolate, melaço e cassis. O café e o cedro se expressam na evolução.
O ataque está marcado por uma elegância franca e uma estrutura refinada. Cascas torradas de cítricos acompanham o chocolate em um final suave.

Harvest Report

As chuvas foram fortes durante a temporada de inverno, particularmente entre os meses de Junho e Setembro. Temperaturas mais altas ao longo de uma primavera temperada permitiram um bom desenvolvimento do vinhedo.
O verão foi muito quente e quase sem chuvas, o que favoreceu o amadurecimento das uvas.

Composição

Cabernet Sauvignon
70%
Carménère
27%
Cabernet Franc
7%

Envelhecimento em barris: 17 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Uma cor rubi intensa; o vinho se abre em deliciosos e complexos aromas de ameixa, chocolate, tabaco e cassis. No paladar revela a presença de taninos maduros, combinados elegantemente com frutas negras concentradas e toques de baunilha. O Harmonioso e elegante final desta fina colheita expressa todo o caráter de Puente Alto.





Harvest Report

A chuva caída para a colheita de 2002 esteve dentro a média de um ano normal. No entanto, chuvas intensas caíram nos meses de inverno Junho e Julho. As altas temperaturas no inverno, superiores à média, adiantaram a brotação do vinhedo em oito dias.
A Primavera foi seca, com temperaturas na média, e acompanhada de um verão quente. As temperaturas da noite permaneceram frescas, o que permitiu um amadurecimento excelente dos taninos e um equilíbrio óptimo.
O Outono começou com algumas chuvas, o que influiu na decisão de adiantar a colheita em 10 dias.

Composição

Cabernet Sauvignon
67%
Carménère
29%
Cabernet Franc
4%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho profundo com tons violeta.
Apresenta-se no nariz cheio de notas minerais, noz-moscada e aromas de profundos de frutas vermelhas e berries silvestres.
O ataque é profundo e bem esculpido, enquanto a evolução revela um tremendo equilíbrio. Chocolate amargo e notas de licor enchem a boca. O retorno de cassis, cerejas e pêssego domina o final.
A colheita de 2002 é notavelmente densa e cremosa.





Harvest Report

As chuvas foram fortes durante a temporada de inverno, particularmente entre os meses de Junho e Setembro. Temperaturas mais altas ao longo de uma primavera temperada permitiram um bom desenvolvimento do vinhedo.
O verão foi muito quente e quase sem chuvas, o que favoreceu o amadurecimento das uvas.

Composição

Cabernet Sauvignon
73%
Carménère
24%
Cabernet Franc
3%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Uma cor rubi intensa; o vinho se abre em deliciosos e complexos aromas de ameixa, chocolate, tabaco e cassis. No paladar revela a presença de taninos maduros, combinados elegantemente com frutas negras concentradas e toques de baunilha. O Harmonioso e elegante final desta fina colheita expressa todo o caráter de Puente Alto.





Harvest Report

As condições secas e de calor desde Novembro a Abril, resultaram em uvas pequenas e concentradas. Duas pequenas chuvas no final de Março e início de Abril aceleraram o amadurecimento e limparam as folhas com as quais se reativou o processo de fotossíntese na videira. Isso permitiu um amadurecimento óptimo.
As uvas foram recolhidas em 15 dias, dentro de um período total de 25 dias, desde 20 de Abril até 14 de Maio.
O rendimento foi muito baixo, e deram taninos redondos e precisos sabores de fruta.

Composição

Cabernet Sauvignon
72%
Carménère
28%

Envelhecimento em barris: 17 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

A cor é um negro intenso com tons de ameixa.
Aromas delicados de morango silvestres, cacau, flores, com toques de mel e incenso dominam no nariz.
O ataque é fresco. A evolução é pura, cremosa, com taninos envolventes e persistentes.
Sabores de pêssegos desidratados, amêndoas e mesquitas se misturam com notas de baunilha e frutas vermelhas frescas, através de um final excepcionalmente elegante.
Um vinho condecorado notavelmente e puro.





Harvest Report

A safra do ano 2005 foi a mais longa e a mais tardia na história do Almaviva, com uma colheita que durou desde 14 de abril até 17 de maio. Controles meticulosos de amadurecimento e uma seleção tripla contribuíram para obter um vinho muito fino.
O inverno foi mais quente que o habitual, com 30% a menos de chuvas que a média do ano. As temperaturas durante os dias de inverno, além das altas temperaturas de Setembro, contribuíram para uma brotação precoce e homogênea, no dia 20 de Setembro para o Cabernet Sauvignon, cinco dias antes da média histórica.

Composição

Cabernet Sauvignon
74%
Carménère
21%
Cabernet Franc
5%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Cor vermelha rubi escura, intenso e opaco.
No nariz se apresenta profundo e complexo, extraordinariamente delicioso e concentrado, revelando aromas de frutas frescas e maduras, morangos silvestres, cassis e amoras amavelmente associados a notas minerais, especiarias, tabaco e café.
O ataque é poderoso, amplo e sedoso, imediatamente revelando uma estrutura balanceada e harmoniosa. Os taninos são maduros e redondos, envolvidos amigavelmente por notas saborosas de baunilha, casca de laranja grelhada, lavanda, chocolate e anis.
O final é longo, mineral e sedoso, destacando a riqueza da fruta madura e a elegância dos taninos.
Um vinho com uma fineza excepcional, e uma expressão extraordinária.

Harvest Report

Mesmo que as precipitações de inverno tenham sido ligeiramente inferiores à média histórica, as chuvas foram frequentes e bem distribuídas durante todo o inverno. Temperaturas razoavelmente altas e um bom nível de água no solo garantiram uma brotação homogênea em Setembro, e um bom crescimento das videiras em Outubro-Novembro.
De Dezembro a Fevereiro, as temperaturas máximas permaneceram bem elevadas durante o dia, com uma amplitude térmica entre o dia e a noite particularmente alta..
As temperaturas menores em abril reduziram a velocidade do processo de amadurecimento, dando uma safra mais tardia do Almaviva, com uvas colhidas entre dos dias 24 de abril a 24 de maio.
Um clima seco e um amadurecimento lento permitiram uma grande acumulação de compostos fenólicos, um bom equilíbrio e amadurecimento das uvas.

Composição

Cabernet Sauvignon
63%
Carménère
26%
Cabernet Franc
9%
Merlot
2%

Envelhecimento em barris: 17 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho rubi intenso.
O olfato revela aromas estáveis e francos de cassis maduros, de ameixa e amora, envolvidos por tons minerais e notas finas de baunilha, de café, de casca de laranja tostada, de tabaco e cacau.
Na boca se apresenta bem equilibrado, fresco, de boa estrutura tânica e de persistência excepcional.
Um excelente vinho, elegante, constante e preciso em seu caráter, com um paladar de muita classe, onde persistem seus taninos refinados.

Harvest Report

A colheita de 2007 ficará na memória por sua qualidade excepcional, seu extraordinário equilíbrio, concentração e complexidade, que realmente a coloca como uma das melhores colheitas da história recente do Chile.
O inverno foi seco e globalmente muito frio. As chuvas entre Junho e Setembro de 2006 alcançaram somente 292 mm em Puente Alto. A brotação foi homogênea, mas começou mais tarde em que os anos anteriores. Depois de um mês de Outubro bem mais quente, Novembro foi globalmente frio, e uma pequena chuva perturbou o florescimento em Puente Alto, o que finalmente limitou a quantidade de frutas por cacho no Cabernet Sauvignon.
De Dezembro a Fevereiro, as temperaturas máximas se mantiveram altas durante o dia, com uma amplitude térmica extremamente ampla entre dia e noite. Este fator foi fundamental no desenvolvimento de peles com concentrações elevadas de taninos e cor.
Um verão quente conduziu a uma colheita precoce de Merlot (Março 26), mas as temperaturas mais baixas de Abril atrasaram o processo de amadurecimento de outras variedades, dando como resultado uma colheita lenta e tardia, de 19 de Abril até 25 de Maio em Puente Alto.
Todas estas condições deram lugar a uma qualidade de uvas extraordinária, de um amadurecimento óptimo, com taninos redondos e suaves, e aromas intensos e complexos.

Composição

Cabernet Sauvignon
64%
Carménère
28%
Cabernet Franc
7%
Merlot
1%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho rubi opaco, intenso e profundo.
O nariz revela um generoso e potente bouquet de amoras, cassis maduro, alcaçuz e violeta, com finas notas de baunilha, café, pimenta-do-reino, incenso e chocolate amargo.
Na boca, o vinho é bem balanceado, com muita densidade, vida e redondo.
Os taninos maduros, concentrados e sedosos, dão ao vinho uma textura incomparável suave e voluptuosa. No final, carnoso e mineral, deixa uma impressão de plenitude e harmonia.
Um vinho extraordinariamente complexo e poderoso, longo e estruturado, perfeitamente balanceado por uma boa acidez.
Uma safra excepcional com um grande potencial de guarda.

Harvest Report

Esta colheita excelente foi marcada por condições climáticas atípicas.
A colheita começou com um inverno excepcionalmente frio e seco, um dos mais frios dos últimos 40 anos, e também um dos mais secos, com somente 146 mm de precipitações entre Junho e Setembro em Puente Alto e 250 mm durante o mesmo período em Peumo.
A brotação foi homogênea, mas se iniciou tarde, uns 10 dias depois do normal. No início, a primavera se apresentou fria, com temperaturas mais elevadas no fim de Outubro e durante Novembro. De Dezembro a Março, as temperaturas máximas durante o dia foram consideravelmente mais elevadas que as médias históricas, com flutuações extremas durante o dia.
No entanto, as menores temperaturas durante Abril, retardaram o processo de amadurecimento, gerando uma safra tardia, lenta e prolongada, onde a colheita se prolongou desde o dia 21 de Abril até 22 de Maio em Puente Alto, e desde o dia 13 até 17 de Maio para o Carménère de Peumo.
O resultado do baixo rendimento das videiras (entre 20 e 45 hl/ha) foi uma fruta de excelente qualidade e pureza, de equilíbrio e caráter excepcionais.

Composição

Cabernet Sauvignon
66%
Carménère
26%
Cabernet Franc
8%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho rubi profundo, intenso.
No nariz, revela aromas puros, delicados de cassis, framboesas silvestres e amoras maduras, se misturando com toques minerais e finas notas de baunilha, café, alcaçuz e especiarias. Na boca apresenta um equilíbrio extraordinário, uma estrutura tânica muito firme e um final excepcionalmente longo. Os taninos são maduros, refinados e concentrados, contribuindo para a densidade e elegante textura do vinho.
Um vinho complexo, elegante e brilhante, puro e preciso em seu caráter mineral, persistente e estratificado, harmoniosamente equilibrado por una extraordinária acidez.

Harvest Report

A colheita de 2009 corresponde a um ano particularmente generoso, marcado por um nível normal de chuvas invernais, uma primavera favorável, um número de cachos maior do que o normal, um florescimento e um coalho perfeitos, um verão quente e seco, e finalmente uma grande qualidade de fruta madura, saudável e suculenta, de taninos notavelmente suaves.
Um trabalho importante de poda de uvas foi realizado nas plantas para reduzir o rendimento das videiras mais novas, enquanto as videiras antigas com mais de 30 anos produziram naturalmente muito poucas frutas (21 hl/ha).
2009 corresponde também a um ano precoce, de brotação à colheita, com um processo de amadurecimento mais rápido e antes do normal. A colheita começou com o Merlot no dia 26 de Março e terminou com o Carménère no dia 20 de Maio. O Cabernet Sauvignon de Puente Alto foi colhido entre os dias 15 de Abril e 15 de Mayo, e o Carménère de Peumo, entre 11 e 16 de Maio.

Composição

Cabernet Sauvignon
73%
Carménère
22%
Cabernet Franc
4%
Merlot
1%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho rubi, intenso e profundo, com tons violetas.
No olfato, o vinho é puro, preciso, elegante e complexo. Possui aromas delicados e frescos de cassis, amoras e violetas, harmoniosamente associados a finas notas de baunilha, cacau, alcaçuz e especiarias. O vinho enche a boca com taninos finos, suaves e suculentos, destacando plenamente a fruta madura. Sua textura é incrivelmente redonda e sedosa, e seu final é longo e carnoso.
Um vinho excelente, preciso em seu caráter, acessível e perfeitamente equilibrado.





Harvest Report

O ano foi marcado por uma primavera fria, que originou características importantes no Cabernet Sauvignon, resultando finalmente numa colheita de baixos rendimentos, com cachos pequenos e poucas frutas por cacho.
A colheita se caracterizou também por um lento desenvolvimento vegetal, 10 a 15 dias depois do normal, e terminou com um processo de amadurecimento extraordinariamente tardio. Até o fim de Abril, somente 9% das uvas estavam colhidas, comparados com um 40% do mesmo período no ano de 2009. A colheita se iniciou dez dias depois do habitual, em 5 de abril, com o Merlot, e finalizou dia 25 de maio com o último Carménère. As uvas de Cabernet Sauvignon foram colhidas entre os dias 26 de Abril e 20 de Maio.
Sem dúvida, 2010 foi marcado pelo grande terremoto que afetou toda a região Centro-Sul do Chile no dia 27 de Fevereiro. A adega e os vinhedos não sofreram danos. No entanto, as vinícolas tiveram menos irrigação durante as duas primeiras semanas de Março e o clima ficou mais fresco depois do terremoto.
Todas estas peculiares condições favoreceram uma extraordinária qualidade de uvas, uma fruta madura e doce, e por sua vez, com um grande nível de acidez, elegância e pureza.

Composição

Cabernet Sauvignon
61%
Carménère
29%
Cabernet Franc
9%
MerlPetit Verdot
1%

Envelhecimento em barris: 17 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

Vermelho rubi intenso, com tons violetas atraentes.
No nariz, o vinho é elegante e completo, revelando aromas puros e delicados de cassis maduro, amoras e morangos silvestres, combinados com baunilha, temperos e grão de café.
Na boca se apresenta bem equilibrado, fresco e elegante, com boa acidez e persistência excepcional. Os taninos são maduros, suaves, concentrados e sedosos, realçando o caráter denso e carnoso do ano.
Um vinho brilhante, constante e preciso em seu caráter, em fineza e harmonia.

Harvest Report

A colheita de 2011 corresponde a um ano particularmente seco, com uma precipitação de inverno de somente 176 mm entre Maio e Setembro de 2010 em Puente Alto, a metade do normal.
O ano se caracterizou por um desenvolvimento tardio da vegetação e da fruta, com todos os estados da videira, da brotação à colheita, acontecendo de 10 a 15 dias mais tarde que o normal.
As temperaturas relativamente baixas em Março e Abril mantiveram o atraso inicial, e a colheita foi realizada finalmente 10 dias mais tarde que o habitual.
A colheita começou no dia 5 de abril com Merlot, e terminou no dia 25 de maio com a última Carménère. As uvas de Cabernet Sauvignon foram colhidas entre os dias 20 de abril e 20 de maio.
Foi uma colheita de baixo rendimento, especialmente no Cabernet Sauvignon e Carménère, e de polpas particularmente pequenas no Cabernet Sauvignon.
Em seu conjunto, estas condições geraram uma fruta de grande qualidade, com muita elegância e pureza, com uma densidade notória de taninos redondos e maduros.

Composição

Cabernet Sauvignon
67%
Carménère
25%
Cabernet Franc
5%
Merlot
2%
Petit Verdot
1%

Envelhecimento em barris: 17 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

O vinho apresenta uma cor rubi intensa.
No nariz se mostra complexo e sutil, revelando aromas delicados e limpos de cassis maduros, figos e amora, acompanhados por notas de baunilha, cacau e caramelo.
O vinho enche a boca com taninos suaves, finos e sedosos, deixando uma sensação geral de equilíbrio, fineza, persistência e frescor. É um vinho puro e elegante, de matizes múltiplos, harmoniosamente equilibrados por sua boa acidez.

Harvest Report

A colheita de 2012 corresponde a um ano seco, com uma precipitação invernal de 200 mm entre maio e outubro de 2011 em Puente Alto, somente dois terços do normal.
Um setembro mais quente do que o habitual, o que fez com que a brotação acontecesse mais cedo no Merlot, Cabernet Franc, Petit Verdot e Carménère. No entanto, as temperaturas mais baixas de outubro atrasaram a brotação do Cabernet Sauvignon.
O verão foi seco e muito mais caloroso do que os anos anteriores, com a pinta acontecendo 10 dias antes do normal. Março foi particularmente quente, com a média de temperaturas máximas dentro das médias históricas mais altas.
Como era possível prever, a colheita começou duas semanas antes do normal, dia 15 de março com o primeiro Merlot, e terminou em 18 de março com o último Carménère. No entanto, a maioria do Cabernet Sauvignon foi colhido sob temperaturas mais baixas entre 17 de abril e 14 de maio. O mesmo aconteceu com o Carménère entre os dias 8 e 18 de Maio.
Todas estas condições geraram uma enorme qualidade de frutas saudáveis, com níveis óptimos de amadurecimento, concentração e pureza.

Composição

Cabernet Sauvignon
65%
Carménère
24%
Cabernet Franc
8%
Petit Verdot
2%
Merlot
1%

Envelhecimento em barris: 19 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

O vinho possui uma cor rubi profunda, intenso, e muito atraente.
O olfato, puro e direto, revela aromas limpos de amoras, cassis e alcaçuz, associados à sutis notas de baunilha, cacau, incenso e especiarias.
O paladar é generoso, de taninos redondos, concentrados e finos, ressaltando a plenitude da fruta madura. O vinho, elegante, enfocado e polido, termina com um final longo, denso e carnoso.
O resultado é um vinho complexo e potente, persistente, equilibrado e de múltiplos matizes.

Harvest Report

A colheita de 2013- décima oitava colheita de Almaviva - teve a mais longa duração, estendendo de 2 de abril até a data de 30 de maio.
A temporada começou com um inverno mais seco que o habitual, registrando uma precipitação somente de 215mm entre maio e setembro de 2012. A primavera seguiu com mais chuva que o normal, com 43mm em outubro e 30mm em dezembro. Com isso repôs o abastecimento de água do solo e proporcionou às videiras reservas necessárias para seu desenvolvimento de maneira uniforme ao longo do seco verão.
As baixas temperaturas de outubro geraram atraso no brotamento. Em novembro, as condições climáticas foram particularmente favoráveis durante a floração, resultando em uma coagulação muito boa e uma quantidade de frutas maior que o normal. Um importante raleio de uva foi feito para reduzir os rendimentos dos vinhedos mais novos, enquanto as vinhas mais antigas, de 35 anos, produziram naturalmente poucas frutas (20 hl / ha).
As temperaturas foram globalmente inferiores ao habitual no verão, especialmente durante dezembro. A mesma coisa aconteceu no outono, com um processo de amadurecimento mais lento em abril, que foi particularmente favorável para as uvas Cabernet Sauvignon, colhidas entre 17 de abril e 23 de maio.

Composição

Cabernet Sauvignon
72%
Carménère
19%
Cabernet Franc
6%
Petit Verdot
2%
Merlot
1%

Envelhecimento em barris: 18 Meses, barris novos de carvalho francês.

Notas de Degustação

O vinho possui uma cor rubi profunda, intenso, e muito atraente.
O olfato, puro e direto, revela aromas limpos de amoras, cassis e alcaçuz, associados à sutis notas de baunilha, cacau, incenso e especiarias.
O paladar é generoso, de taninos redondos, concentrados e finos, ressaltando a plenitude da fruta madura. O vinho, elegante, enfocado e polido, termina com um final longo, denso e carnoso.
O resultado é um vinho complexo e potente, persistente, equilibrado e de múltiplos matizes.